quarta-feira, 19 de outubro de 2011

#15

One day at a time III
Liguei-lhe no primeiro intervalo, pedi-lhe que fosse ter comigo às traseiras do 1º bloco.
- Pedro, não vamos estar com falinhas mansas. Não vale a pena, estivemos tanto tempo juntos, o suficiente para não nos darmos a esse trabalho…
- Sim, é verdade mas…
- Não me interrompas, o que tenho para dizer é rápido. Só quero que saibas que me desiludiste muito, e que nunca mais vamos voltar a ser nem ¼ daquilo que já fomos, ainda te amo, e por isso, peço-te que me evites. Não me dirijas a palavra, é melhor. Adeus, a sério.
Enquanto me afastava não consegui conter o choro. Cada vez que me lembrava de tudo o que tínhamos passado… Ficava devastada por ter acabado. Ainda o amava é verdade. Agora precisava de sair dali, aquela escola hoje, era um sitio onde não poderia ficar.
“Sam, hoje não vou mais às aulas. Já falei com o Pedro. Está tudo resolvido. Vou desligar o telemóvel, está tudo bem, beijos amo-te” Mandei esta mensagem escrita para a Samantha. Estava na casa de banho à espera do toque de entrada, queria sair dali, mas não queria cruzar-me com ninguém que me impedisse de sair.
Tocou, esperei que a algazarra passasse. Depois fui para casa. Cheguei a casa, entrei e comi uma taça de cereais. Depois preparei uma mala com o fato de banho, a touca, e coisas para tomar banho. Decidi ir à piscina.
(…)
Quando cheguei a casa vi os meus pais arranjados. A minha mãe pediu-me que fosse ao supermercado comprar o meu jantar, disse-me que ia sair para jantar com o meu pai. “Boa, mais uma tentativa desesperada para ela não a deixar” pensei.
- Conta com o teu irmão que ele também está em casa.
- Está bem, vá, diverte-te!
Despedimo-nos. E eles saíram.
- Graham, queres jantar o quê? Vou ao supermercado. – gritei.
- Não quero nada, compra só para ti.
- Está bem, vou sair, adoro-te.
- Também te adoro. Vai com cuidado.
O Graham para mim tinha sido sempre o melhor dos irmãos, sempre me protegeu. Pode fazer as maiores merdas do mundo mas nunca me deixava seguir o seu exemplo, sempre me incentivou a ter as melhores notas, nunca me deixou entrar na má vida, e quando comecei a namorar com o Pedro, ele fez questão de ir falar com ele. Quando lhe disse que ele me tinha traído, ele ficou completamente passado. Se não lhe tivesse pedido, quase de joelhos, que não fizesse nada, o Pedro por esta hora estaria a beber pela palhinha. Pode ter as piores companhias mas isso não o impede de ficar em casa por uma noite se sentir que estou mal.
Saí de casa. Cheguei ao supermercado e comprei uma massa de pacote. Paguei e saí. Quando sai vi um grupo de rapazes, reconhecia um deles, era um dos “amigos” do Graham. Começaram a chamar-me, sabiam o meu nome.


Apresento-vos o 3º capitulo da história "One day at a time"
Enjoy!

1 comentário:

marti disse...

estou a gostar muito da história! estou a seguir* beijinho e obrigada :)