sábado, 17 de março de 2012

#134

Penso que já me estou a habituar a escrever para mim mesma. E não está a custar tanto como seria de esperar. Posso escrever mal, posso até nem dizer nada interessante, mas enfim, não me importa.
Não gosto da vida. É demasiado complexa e no final marchamos todos para o mesmo fim. Passemos por onde passarmos acabamos todos no mesmo sitio. E aí, pouco importa se foste gordo, magro, rico ou pobre.  Durante o tempo que cá estamos é suposto encontrarmos muitos obstáculos, e é suposto sermos fortes o suficiente para os conseguirmos superar. Alguns ficam pelo caminho. Nunca vão saber o que é ter netos, ou até mesmo filhos. Vão perder a alegria de ver o seu filho a dar os primeiros passos, vão perder a satisfação de um jantar com os amigos... Alguns não têm ambição e coragem para ficar e ver o que acontece. Ficam com medo e acobardam-se, dão a vida como se não valesse nada. Outros são cobardes de mais para acabar com a sua vidinha de merda que não faz falta nenhuma. Acho que toda a gente conhece aquela pessoa que se não estivesse a caminhar por este mundo nos fazia um favor. Gostava de entender o propósito da vida. Sempre foi uma coisa que me intrigou. Gostava de saber porque é que estamos a evoluir tanto, gostava de saber o que vai acontecer quando já não houver nada para evoluir. Gostava que me dissessem para que é que estamos a evoluir. Ok, evoluimos e depois? Ganhamos uma medalha? Oh, que engraçado. Para o bem da minha alma, espero bem que o fim da viagem seja assinalado com a minha morte. Não quero continuar a fazer o mesmo vezes e vezes sem conta, até ao infinito e mais além.

4 comentários:

André Pacheco disse...

Tarde demais. Ele foi-se.
Sabes que mais? Que se fo*a.

André Pacheco disse...

São estas diferenças que devem determinar o caminho, tudo isto deve servir para depois dizeres (se puderes) eu fui diferente dos outros, e apesar destas complexidades todas para o mesmo fim, eu destaquei-me.
O propósito de vida? Acho que ninguém vai entender. Só mesmo aquilo que disseste: lutar, fracassar, ser feliz para no fim... morrer.
Há sempre algo que podes evoluir, pelo menos espero eu, a vida é feita de mudanças constantes
"Para o bem da minha alma, espero bem que o fim da viagem seja assinalado com a minha morte. Não quero continuar a fazer o mesmo vezes e vezes sem conta, até ao infinito e mais além." Concordo!!! Para mim basta esta passagem..
Well, queria pedir desculpas do comentário anterior em que disse "queres saber de uma coisa? que se fo*a" disse aquilo não por me desinteressar e por me estar a cag*ar mas sim, porque realmente custa :s
Obrigada pela força, qualquer coisa também estou aqui

cláudiagomes. disse...

apesar de triste o texto está perfeito! Eu assim espero também...

IceQueen disse...

Realmente não faz sentido ultrapassar todas as dificuldades, tentar ter uma boa vida, realizar os nossos sonhos e etc se depois temos todos o mesmo fim...é como se tudo o que tivéssemos feito não tivesse servido para nada. Mas a vida deve ter algum propósito, só não se sabe qual...