domingo, 14 de outubro de 2012

#213

Sei bem que ninguém vai ler isto até ao fim, não importa. Eu aguento, só mais um pouco.
A vida passa, os momentos não se repetem, a cada dia aproximamo-nos cada vez mais do nosso fim. A vida é irónica. Passamos toda a vida a decidir como a vamos viver, e depois no dia em que tudo acaba, não temos qualquer influência. Está escrito. Talvez amanhã ou talvez daqui a 60 anos. Nada se sabe, o futuro é incerto e nós somos apenas marionetas de algo maior. É discutível.
Nada acontece por acaso e cada decisão que tomamos desencadeia mais umas quantas. Ir para a esquerda ou para a direita? Parece uma decisão fácil, mas no lado esquerdo pode estar a tua morte e no direito o grande amor da tua vida... O pior desta vida é não conseguirmos desfazer tudo o que fizemos de mal, não conseguirmos apagar aquelas decisões que nos fizeram mal. Toda a gente já teve pelo menos um momento na vida em que sentiu que dava tudo, tudo para voltar atrás, não dizer aquilo ou fazer isto... Eu dava, dava a minha vida. Queria poder voltar atrás, e refazer tudo. Cada palavra, atitude, cada decisão. Oh, se queria.
Eu menti, disse que não tínhamos qualquer influência na maneira ou no momento em que a nossa vida acaba... A verdade é que temos, a qualquer momento podemos decidir acabar com a nossa vida. Fisicamente é muito fácil mas a luta psicológica necessária para tal é imensa, e sinceramente só acaba com a dor da pessoa. Demonstra fraqueza. E egoísmo. A vida foi feita para nos testar, quem fica cá até ao fim, está de parabéns, cumpriu o seu dever. Viveu, com mais ou menos dificuldades. Cada pessoa que se liberta do seu sofrimento deixa cá quem se preocupou com eles outrora. É egoísmo deixares a tua mãe e o teu pai a pensarem que a culpa foi deles, ou que se a tua irmã tivesse ouvido o teu choro de desespero nada daquilo teria acontecido... Ou os teus amigos, zangaram-se porque alguém disse uma coisa e não se despediram por estarem chateados, e agora? Agora já não vais estar lá para eles poderem dizer um ultimo adeus.
Por outro lado, a vida é madrasta, deita-nos abaixo. Sem qualquer misericórdia. O nosso mal é pensar. Quem pensa é infeliz, já dizia Fernando Pessoa. Nós, seres humanos, temos tendência para pensar demasiado sobre coisas muito simples, inventamos situações nas nossas cabeças e fazemos uma história completamente diferente da realidade. É uma necessidade e é involuntária. Sei que por vezes desaparecer para sempre é uma ideia muito tentadora, é simples, é rápida. É óptima. Acabar com tudo de uma vez, quem não gosta de mim vai ficar muito mais descansado. Mas e quem gosta? Podem ser poucos, mas existem, tudo aquilo que suporto é por eles. É por eles que me levanto todos os dias da cama... Por vezes é por eles que eu choro, são eles que me fazem chorar e me deitam abaixo. E sinto que eles não fazem ideia do quão marcada eu estou. E do quanto as acções deles me deitam abaixo. Pode ser apenas levantar a voz para eles, mas para mim é uma demonstração da merda que sou, das merdas de faço... A minha vida não é nada mais que uma nuvem cinzenta, pronta pra chorar.

4 comentários:

IceQueen disse...

Li até ao fim :P E gostei do texto =) Acho que toda a gente gostava de voltar atrás num momento ou outro. Sim, a vida é mazinha e traioçeira às vezes, faz-nos pensar muito... Mas devemos sempre crer que o amanhã será um dia melhor. Desaparecer só porque uma coisa ou outra corre mal é realmente um acto de fraqueza, demonstra que desistimos, que achamos que as coisas não têm solução. Mas têm, e desistir assim nunca nos vai permitir ver como seria a nossa vida quando aquelas coisas más passassem.
Força =)

Márcii disse...

Qualquer acção, decisão que tomes vai fazer para sempre parte de ti. Quer querias quer não.
Se decides ir ou ficar, se decides dizer ou não dizer, se decides mostrar ou não mostrar, se decides acabar com tudo ou suportar tudo, se decides gritar para o mundo a merda que sentes que és ou mostrar aqueles sorrisos falsos que mostras a cada dia que passa.
Todas as tuas decisões vão afectar alguém, alguma coisa, e desencadear algo em alguém ou desencadear algo.
Se tudo isto é justo? Não, de maneira alguma. Mas o que é que podes fazer? Lutar? Sim, podes. Podes sempre lutar! Isso não podes nunca deixar de fazer. Pode parecer que não vale de nada mas doravante e consequentemente vai fazer com que algo mude, alguém mude, pode não ser já, não ser agora, mas vai mudar!
Uma vez disse-te: " A vida é difícil e se algum dia alguém te disser que não é, está a mentir-te." e essa é a verdade, todos sofremos e todos temos de lutar! E tu tens de lutar! Por todos aqueles que te querem bem e pelos que te querem mal também! Porque tu és tu e tu fazes a diferença no dia, na vida das pessoas! Tu tens importância, por muito que penses que não, tu tens importância!

Miminhos disse...

Apesar do assunto que é tratado, gostei bastante de ler este teu texto. Sinceramente. É verdadeiro e descreve palavra por palavra a verdadeira realidade que existe. Contudo, lembra-te daquilo que disseste: o futuro é incerto, ninguém o sabe. Recorda que a vida tem a capacidade de surpreender e de mudar de um momento para o outro. E olha, a tua também existe. Tem a possibilidade de te surpreender e de mudar a qualquer momento. De se converter de uma nuvem cinzenta para um desabrochar de um arco-íris. Tem! A verdade é que tem. E, verdadeiramente, tem a possibilidade de ainda vires a ser feliz. Porque tu ainda vives. Porque tu ainda tens vida, e a oportunidade de lutar por aquilo que queres. Por isso, não desistas. Sê forte. Luta, não só hoje nem amanhã, mas até ao fim. Por ti!

Miminhos disse...

Tens de ter paciência. Calma. Mesmo. Um dia perceberás que nem tudo foi tão mau quanto pareceu. Que afinal a vida ainda te conseguiu surpreender pela positiva. Mas não percas a esperança. E faz isso: continua a lutar, que é o que eu também irei fazer!